Arquivos de tags: moleka

“Moleka by Sinnatrah” – O envase se aproxima!

Notamos que nossos alunos cervejeiros ficaram preocupados com a falta de maiores informações, de um acompanhamento “minuto a minuto”, sobre o andamento da sua primeira cria. Totalmente compreensível, visto o suor dedicado para sua fabricação 🙂

Esse provavelmente é o único inconveniente de fazer sua cerveja aqui conosco, utilizando o espaço e os equipamentos Sinnatrah. É duro não ter o prazer de checar diariamente sua criação (dando aquela batidinha sem sentido no fermentador e dizendo: “vai menina”) para poder seguir o dia tranqüilo com aquele ar de confiança de quem mal consegue esperar pelo dia de mostrar sua cerveja para amigos e parentes.

Mas acalmem-se e sigam confiantes, nós fazemos essa parte por vocês! 😉 Contudo, se tudo corre bem,  além do grosso do trabalho pós-brassagem ser feito pelas leveduras, pouca coisa é observável.

Moleka "descansando" e decantando na geladeira

Após a fervorosa fermentação primária, mencionada no post anterior, deixamos a “Moleka by Sinnatrah” mais alguns dias a temperatura ambiente para o “diacetyl rest”.

E no ultimo domingo (24/10/2010) ela foi para a geladeira para estimular a floculação das leveduras e finalizar a sedimentação de proteínas coaguladas. Já é possível notar que muita coisa decantou!

Assim, alunos cervejeiros, falta pouco para o envase, preparem-se! 😉

“Moleka” is ALIVE!

Como o Alexandre mencionou no post anterior, durante a ultima brassagem aberta (16/10/2010) a colher e as panelas cervejeiras foram comandadas pelos nossos amigos (e alunos do I Curso Sinnatrah de Cerveja Artesanal) Francisco e Panizza.

A brassagem foi um sucesso gerando um belo mosto, bastante translúcido! E tenho o prazer em informar que a fermentação também está prosseguindo bem, como esperado. Assim esse post é na verdade apenas um breve registro da primeira fermentação da Moleka (me corrijam caso o nome tenha mudado!rs).

Novamente para não correr risco de contaminação substituímos o airlock de 3 peças pela mangueira e o outro galão de água com uma solução diluída de cândida. Alias foi muito legal entrar na Sinntrah e escutar as bolhas surgindo dentro do galão!

Dispositivo anti-contaminação

 

Essa visualização da fermentação acontecendo (assim como o krausen formado no topo) é das coisas mais gratificantes de observar após as quase 8 horas de dedicação de corpo e alma na brassagem. Por isso colocamos de volta o airlock… e… voilá! “Ela está VIVA!!!”

Além de prover os meios para a criação da primeira cerveja, agente não poderia deixar vocês sem também sentir o gostinho dessa satisfação!

Abraços

Rodrigo

%d blogueiros gostam disto: